"In three words I can sum up everything I have learned about life: it goes on."


Thursday, December 18, 2014

77

I wish I could drown in the shower.
I wish I could erase her from me like Clementine erased Joel. 
I wish so many things right now. 
I'm so sad and out of myself that it has been raining for over an hour inside of my room and I did not even notice my window was open. Now my floor is soaked wet. In the past, my sheets would be soaked wet of tears, too. But not this time.
It is like my body decided to cry dry, refusing to react over her heartbreak - again. 
I used to think a heartbreak was only an euphemism but truth is: I recently discovered it's not. It physically hurts. It's an indescribable pain that grows in your chest from the moment she tells you she is leaving and will not come back and it never stops growing. Every passing day it hurts more and more. It is a progressive pain, like an inoperable tumor, it never goes away and you cannot just fix it.
Falling in love with her ruined me. I was fine before her. I was fucking fine. I was lonely, I knew I was lonely and I was fine with that. Then she appeared and taught me that being with her was better than being lonely, and I got used to that and the worst: I liked it. For the first time in my life I had someone who understood me. She was not only my girlfriend, but also my best friend. She was all I ever wanted in one only hug and then she decided she could not handle it anymore and left. And left me with all that loneliness but I did not know how to be lonely anymore.
She decided she was not happy and she needed to go after her happiness and in order for that to happen I could not be a part of her life anymore. She decided to not take any responsibilities on the feelings and the hopes she grew inside of me. She called to say it was over and nothing I would say could change her mind. She literally abandoned me like I was nothing to her. Like I'm nothing. Like I am a thing she used and abused and now she is done she can throw away and go after something better. She has no respect for me. How sad is realizing that after everything I had to put up with to be with her. 
I hate her. I wish we had never met.
I wish I had never fallen in love. 
I wish one day this pain goes away. 

Friday, November 07, 2014

The last morning

Havia chovido a noite inteira. Sei disso pois quase não dormi. Cada vez que fechava meus olhos, minha mente lembrava-me que aquela poderia ser a última vez que a teria dormindo ao meu lado. Ela dormia de bruços, seus cabelos muito longos encontravam-se em todos os lugares, pelo seu rosto, ao redor de seus braços, colados em suas costas. Dormia profundamente, respiração pesada.
Um pouco de luz entrava pelas persianas, fazendo parecer que as paredes do quarto eram listradas em preto e branco. Apesar da chuva, era uma noite muito quente, abafada, de verão em pleno Halloween.
Ao amanhecer a chuva passou a ficar mais pesada, com relâmpagos a cada segundo e ventos fortes uivando na janela de vidro do nosso apartamento alugado no centro da pequena ilha ao sul de um país de terceiro mundo. 
"Os céus estão dizendo que entendem a minha dor", pensei. 
"Hoje ela volta pra California, para aquele lugar maravilhoso, cheio de oportunidades e pessoas interessantes e eu vou ficar aqui nessa merda", pensei. Chorei. Morri de saudades por antecipação. 
Meu alarme tocou. 6:45. "Babe. Baaaaaabe. Time to wake up, you got a flight to catch."
Ela rolou de um lado pro outro da cama, fazendo ruídos desaprovando ter sido acordada. Colocou o travesseiro no rosto. Largou o travesseiro. Me puxou pra perto dela. Ali ficamos abraçadas sem olharmos uma pra outra, sentindo uma tristeza que não cabia dentro de nós mesmas até às sete.
Levantamos, tomamos banho, arrumamos as coisas que faltavam ser arrumadas. Descemos, entregamos a chave para o proprietário do apartamento, colocamos a mala no carro, liguei o carro.
Ainda chovia - principalmente dentro de mim.

Wednesday, October 01, 2014

The devil on her eyes

It was all red
All I could see was red
The walls, her clothes, my hands
Red dripped down the floor
On the door, on the walls
It hurt everywhere
In places I didn't know could ache
My soul was aching
I still loved her though
Through all of that I was still loving her
But that was not her
Her eyes
There was something different about them
Or someone
It was pure evil
I saw anger and pain
It was the devil

Thursday, July 24, 2014

76

Pega toda essa indiferença e frieza e enfia ela bem no meio do teu cu.
A verdade é que eu sempre soube que eras fraca, e por isso tentei ser forte por nós duas. Porque essa coisa de não chorar na frente dos outros, meu bem, é coisa de gente pequena. E de não perdoar também. Quantas vezes te perdoei colocando meu orgulho de lado pois acreditava que éramos (ainda acho que somos) muito maiores que todas essas coisinhas inhas e me enroscava no teu corpo e chorava todas as lágrimas que possuía dentro de mim e te deixava acariciar meu cabelo mesmo sentindo vontade de vomitar cada vez que me tocavas com tuas mãos sujas (delas). És fraca, pois escolhesse o jeito mais fácil pra ti, transformar uma coisinha em uma coisona e assim parecer com razão para agir como estás agindo. Mas tá tudo bem. O relógio tá girando e do jeito que as coisas estão indo by the time que eu entrar naquele avião não existirá nem mais uma gotinha do teu veneno circulando pelas minhas veias.
Não faria nada diferente de tudo que fiz(emos). A vida é assim, começos e fins e recomeços. Eu te desejo o melhor, por aqui. Mesmo. Desejo que sejas muito, muito feliz.
Quem sabe um dia eu viaje por essas bandas e te veja de novo. Quem sabe. Um dia.
Só espero poder amar assim de novo, outra vez na vida. Porque a felicidade que senti nesses últimos oito meses, nunca tinha sentido antes. Obrigada pelos sorrisos, que destes muito mais que lágrimas. Pelas experiências, por me mostrar esse novo mundo daqui (que eu não pertenço nem nunca pertencerei mas foi legal fingir).
Foi bom te amar e ser amada de volta com a intensidade de um temporal e uma loucura equivalente a religião muçulmana.
Adeus, meu amor.

Wednesday, April 02, 2014

75

Tu sorri e eu transbordo
Tu me olha e eu transbordo
Mas se tu sorri e me olha eu inundo o cômodo
Sempre transbordei sentimentos
Mas sempre sentimentos ruins
Hoje em dia transbordo felicidade, contento, amor
Nunca pensei que transbordaria assim, da cabeça aos pés
Por todos os lados, é como se
Sorrisos escapassem não só da minha boca
Mas dos meus olhos, mãos, alma
Tua pele é a pele que mais amei
Dentre de tantas outras
Tem também todas as outras coisas em ti
Que seriam tão clichê que prefiro nem pronunciar
Te amo.Apenas tu. Inteiramente tu.
Tu todinha assim, minha, ali, dizendo que me ama.
Explicando que és minha assim como sou sua.
Me pedindo para ser sua.
Teus olhos sorriem também, as vezes até lacrimejam
Eu nunca digo nada, para não te constranger
Te conheço, guria.
Lembra aquele primeiro dia?
Eu já te amava. Eu te amei antes de te amar...

Sunday, January 19, 2014

Tão vazia, tão cheia. É como se o veneno dela ainda corresse nas minhas veias e fosse necessário para minha sobrevivência. Não sou de acreditar em planos e promessas mas dessa vez a queda foi como se alguém tivesse me atirado de cima de um prédio de quinze andares e eu tivesse assistido minha própria queda enquanto caía. Agora to aqui, no chão. Meio difícil conseguir se mexer quando seus membros doem, seu coração lateja e seu sangue não possui mais o veneno necessário para circular.
Você continua viva, mas não exatamente. Você vive uma quase vida, quase gostando das coisas, quase superando, quase. Quase deu certo, quase. Que pena.