"In three words I can sum up everything I have learned about life: it goes on."


Monday, April 15, 2013

Sueños

Lembrei desse sonho que eu tinha frequentemente enquanto criança. Eu estava no segundo andar dessa casa, era um final de tarde muito ensolarado e os raios de sol entravam pela janela refletiam pelos móveis, faziam o gigante gramado do terreno ao lado da casa ser mais verde do que já era. Na verdade, um verde quase dourado. Eu era criança, e eu me via em terceira pessoa de um ângulo que vinha do teto. Tinha esse vestido branco que reluzia o sol, e o cabelo com trancinhas de balançavam quando eu levava a minha cabeça de um lado para o outro.
Pisquei.
Agora eu estava no meio da grama dourada, mas eu não podia correr. Eu estava presa pelos pés a esse pedaço de pau cravado na grama. Gritos, eu gritava e ninguém me ouvia, não pareciam existir pessoas ao meu redor. Pânico, desespero.
Então eu acordava chorando.
Acho que é meio como eu me sinto agora, a diferença é que eu não posso acordar e de repente tudo estar acabado. Seria este sonho uma premonição? Existem premonições? E se não, por que eu me lembraria depois de tanto anos? 
Essa madrugada eu acordei sentada na mesa da cozinha, olhando para o relógio com as luzes acesas. Não sei como fui parar ali. Eu nunca havia tido uma crise de sonambulismo antes. Pesquisas afiram que apenas 0,5% da população na fase adulta apresenta sonambulismo. Ansiedade causa sonambulismo. Estou eu tão ansiosa para ir-me a ponto de ter desenvolvido uma doença? 
As cordas que seguram meus pés no meio do gramado fazem meus tornozelos doer. 

Sunday, April 14, 2013

tired of living
scared of dying