"In three words I can sum up everything I have learned about life: it goes on."


Sunday, April 29, 2012

38




Só um muro de batom
E frases sem fim

Holofotes nos meus olhos 

Cegam mais do que iluminam

Nem caiu a ficha 
E já caiu a ligaçao
Que a chuva caia 
Como uma luva
Um dilúvio
 Um delírio
Que a chuva traga 
Alívio imediato
Que a noite caia 
De repente caia
Tão demente quanto um raio
Que a noite traga 
Alívio imediato


Uma noite bem peculiar de outono. Gelada, mas não exatamente fria. Bem clara, também. 
Do banheiro ou da rua - não soube decifrar - ouvia um barulho ritmado de tun tun tun. Com todas as luzes desligadas, levantei do colhão no chão e perambulei pelos cômodos como uma alma penada.
Falando comigo mesma durante horas, criei diálogos imaginários sentada na varanda sob o sereno da madrugada. Diálogos que jamais existirão, pensando em respostas para perguntas que nunca serão feitas.
O tun tun tun continua.
Sentei-me no chão da sala, sobre o tapete de corda cor palha. Olho pro relógio digital com números verde neon, são três da manhã. Hora do diabo
Uuuu. Liguei a tevê, e como já era esperado a NET não tinha nada para me oferecer além de desenhos animados nos canais infantis, documentários chatíssimos no canais inteligentes, e um soft pornô em todos os outros. Fiquei trocando de canal compulsivamente, esperando que dá próxima vez que eu voltasse para o canal inicial, magicamente estivesse passando algo de meu interesse.
Cambaleei no escuro de volta pra o quarto, arrastando pés e pernas como se pesassem toneladas. 
Deitei-me. Fechei os olhos. 
Não conseguia dormir e não queria permanecer acordada.
Abri os olhos e encarei o escuro. E fiquei ali assim, até amanhecer. Sozinha.

Wednesday, April 18, 2012

Em frente ou enfrente

diga adeus ou não diga nada
diga adeus

não vá perder a hora certa
com a pessoa errada
diga adeus, !adeus!

a vida não pode ser um
contagotas na tua mão

chuva que não chove
sol que não sai
a vida não pode ser medida
com precisão
motor que não se move
nuvem que não se vai

se está com ele está sozinha
e sozinha não quer mais ficar
se está chegando o fim da linha
'tá na hora de saltar

Voltei para a casa chateadíssima com os desencontros do meu dia, e a noite por aqui a essa época do ano já é fria. Eu fiquei no sereno por 40 minutos a esperando, congelando, e embora não queria, fui obrigada a vestir a camisa que estava na minha mochila de uma das exes. Não apareceu, e eu peguei meu ônibus.
Passados dois minutos que saí do centro, meu celular toca, é ela contando que se atrasou mas que estava lá me esperando. Falei que já tinha-me ido, desculpei-me, disse adeus.
No fundo, nem liguei.
Na minha trajetória de volta, vim observando o bairro-mais-feio-mundo até não conseguir mais ver tanta feiura que fui obrigada a voltar-me pro céu de novo.

Me peguei encarando o escuro. Me peguei de olhos fechados tentando me comunicar por telepatia, tentando te mandar energias positivas wherever you were. Tentando te fazer sentir-me e lembrar-me. - Tu é idiota Nathalie, idiota! -
Também sempre pego-me andando na rua procurando-te dentre as pessoas andantes e estressadas da Deodoro, o que na verdade é uma baita de uma ilusão desde que eu nunca te encontrei por acaso pelas esquinas da minha vida. Nunca mesmo!
Acho que talvez o destino não nos ajude, e pra isso deve haver uma explicação. O mesmo palhaço daquele dia me parou hoje, e repetiu as mesmas palavras que confirmasses.
E eu grito teu nome todos os dias desde que te conheci, mas tu não me ouve.

¿ Em frente ou enfrente, señorita ?

Monday, April 09, 2012

37

Te olhei hoje e pensei "eu te escolho pra me tirar da escuridão". O que na verdade é uma pena já que nem conseguistes sair da tua própria ainda. Mas dentre teus sorrisos e olhares, e gestos e beijos, és minha escolhida. Mesmo que seja para uma causa que desde já, é perdida. E eu te quereria em todas as minhas manhãs e não manhãs, e me bastarias.
O que é uma pena também, já que não seria recíproco.
Mas continuo com esse pensamento que todos os meus milésimos de segundos seriam melhores contigo ao meu lado, e quem te fala isso é um coração bem bêbado e sincero. Sempre te dou o tchau mais frio possível, quando na verdade minha vontade é de te trazer pra casa e te encher de beijos e carinhos até dormires.
Minha promessa de não passar de uma vez foi quebrada, e pelo modo ocorrido na segunda e terceira, sei que ainda haverá a quarta, a quinta e assim sucessivamente. Sei que não ficaremos em paz até termos o que queremos. (me questiono sobre o que é)
Por final, posso dizer que eu cuidaria de ti, mesmo que nem saiba cuidar de mim mesma direito. Seria bom te amar pela manhã.

Wednesday, April 04, 2012

36


Nos meus piores pesadelos, eu grito e minha voz não sai.

Mas eu tenho medo mesmo é de de não ter medo quando deveria e de ter medo quando não precisa.
Talvez meu maior medo na vida seja não corresponder às circunstâncias, à (dita) realidade.

Sunday, April 01, 2012

35

meu quarto
amarelo e violeta
com listras de luz
que entram
por dentre
as persianas

meu olhos
vermelhos e azuis
com lágrimas de sal
que caem
por volta
do meu nariz

minhas mãos
brancas e frias
suadas de ansidade
e devaneios
de uma mente
perturbada que cria
situações impossíveis

comecei a fazer
mais uma
tempestade
azul marinho e preta
em copo d'água
sem motivo
sem explicação,
que saudade
do drama
do caos

auto-destrutiva
ou só
destrutiva
tanto faz

tenho pena
de quem
sem querer
cruza comigo
em uma dessas
tardes de outono
e cai na besteira
de dizer
oi.

so now im feeling alright
cause nothing feels like
when you're holdin' on