"In three words I can sum up everything I have learned about life: it goes on."


Wednesday, March 28, 2012

34

te escrevo, e escrevo pra reler
algum dia
gostei do teu sorriso
e olhar
de te conhecer
do teu corte de cabelo
e dele bagunçado
dos idiomas misturados
mas não posso
deixar passar de
um dia

te evitarei
ou encontrarei
em tardes
de domingo
de sol e calor
ou sol e frio

eu gosto das tuas
cores, mulher
e dessa vez é mulher
não menina

não sei
lidar
não sei
te chamar
não posso
te querer

então te escrevo
para nunca saberes
que é pra ti
mas saiba que
foi o mesmo que senti
da primeira vez
com as outras duas

e é por isso
que vou-me
e não deixo passar
de um dia
seria bom te amar
pela manhã.

“Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas
e não se cumpriram.
Porque sofremos tanto por amor?

O certo seria a gente não sofrer,
apenas agradecer por termos conhecido
uma pessoa tão bacana, que gerou
em nós um sentimento intenso
e que nos fez companhia por um tempo razoável,
um tempo feliz.
Sofremos porque?

Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer
pelas nossas projecções irrealizadas,
por todas as cidades que gostaríamos
de ter conhecido ao lado do nosso amor
e não conhecemos,
por todos os filhos que
gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,
por todos os shows e livros e silêncios
que gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados,
pela eternidade.
[...] Como aliviar a dor do que não foi vivido?

A resposta é simples como um verso:
Se iludindo menos e vivendo mais!

A cada dia que vivo,
mais me convenço de que o
desperdício da vida
está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca,
e que, esquivando-se do sofrimento,
perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional."

Monday, March 19, 2012

33

e às vezes
nessas tardes
quentes e frias
eu deixo,
sentir
eu deixo,
doer
mas só um pouco,
pra não querer
mas só um pouco,
pra não esquecer

Wednesday, March 14, 2012

a gente sentou e riu
e riu bastante, de chorar
tomamos algumas cervejas
e era como se fossemos amigas
há muito tempo
falamos mal
de todos que gosta
pois desgostamos igualmente
coincidentemente

tuas verdades mentiras
mais mentiras do que verdades
desvendamos também
o céu estava bonito
depois,
encontramos a loira
e o kim
"que aleatória essa vida"

Friday, March 09, 2012

sentei e respirei
para esperar passar
mas esqueci de levantar
e de lavar as mãos
e do teu rosto
e de te ligar
acabou a bateria
eu tenho a minha vida
tens a tua
continuo aqui
no mesmo lugar
nem tens meu número
nem eu tenho meu número
na verdade
acho que
nem vou me ligar mais
mas neste lugar
o céu é amarelo
e não azul
então veja bem
não mais me veja
não mais veja me
veja me
não
mais por um segundo, só.

Mas não seria natural.
Natural é as pessoas se encontrarem e se perderem.
Natural é encontrar. Natural é perder.
Linhas paralelas se encontram no infinito.
O infinito não acaba. O infinito é nunca.
Ou sempre.