"In three words I can sum up everything I have learned about life: it goes on."


Tuesday, January 31, 2012

29

Eu raramente ouço e memorizo o que pessoas desinteressantes me dizem. Não é por desprezo, nem por se achismo, nem nada. Eu apenas passo muito tempo dentro da minha cabeça. Sendo assim, qualquer assunto que não venha a ser conveniente aos meus pensamentos não é processado, e é por isso que eu nunca sei o nome de ninguém que me cumprimenta, e sorrio e aceno após ouvir frases que não prestei atenção rezando para que não fossem perguntas.

Eu 'tô sempre atrasada. Sempre atrasada porque eu sempre fico em algum determinado momento presa no meu mundo.
E eu adoro o meu mundo. E ele é bem cinza. O cinza não reage a estímulos sobre a luz, igualzinho a mim que não me contagio com felicidade alheia nem com dias bonitos de sol. O cinza combina com o meu realismo que muitas vezes beira o pessimismo.
É por isso que eu não me permito ser de total, feliz. A felicidade existe dentro das pessoas que são inocentes o suficientes para se deixar iludir, e eu sou muito verdadeira comigo para me iludir em troca de felicidade.

Thursday, January 26, 2012

28

"Mas sentimentos são água de um instante.
Em breve - como a mesma água já é outra quando
o sol a deixa muito leve, e já outra quando
se enerva tentando morder uma pedra, e outra
ainda no pé que mergulha - em breve já
não tínhamos no rosto apenas aura e iluminação."

Peguei-me de novo questionando-me sobre o "e se". Pensando em como teria sido nossas vidas se os fatos tivessem acontecidos diferentes.
"E se" eu não tivesse dito para ela não ir e ela tivesse ido?
"E se" eu não tivesse pedido salvação? Eu ainda a teria conhecido?
"E se" eu tivesse conhecido-a, em outra circunstancia? Teria me apaixonado?
"E se" eu tivesse fechado-me a ela, como a todas outras pessoas anteriores?
E se...

Viver questionando-se sobre hipóteses é exaustivo. Mas impossível também é viver sem questionar-se. Porque tudo poderia ter sido diferente, só que não foi.
Seria isso o destino? Ou apenas nós viramos escritoras - muito ruins, por sinal - do nosso futuro?
Afinal, claro que tudo isso serviu para algo... ela cresceu e eu voltei para o lugar no qual eu nunca deveria ter saído.

Wednesday, January 25, 2012

27

"Ela dizia que parecia uma despedida
Calcei os sapatos, vesti sua roupa
Já não cabia mais
(...)
Pensava ela na alegria
Eu no feriado
Ela dizia que esquecia
Não acredito não
Ainda me lembro era domingo"

Me deixa ser louca, e não pensar nas consequências, e ficar neurótica, depois insuportável, e ser assim?
Porque eu sou assim.
Me deixa ficar muito irritada, e reagir mal quando as coisas dão errado porque eu agi impulsivamente. Porque eu sou impulsiva.
E me deixa também, ser negativa quando tudo dá errado pois eu sou a rainha do pessimismo.
Me deixa ser infeliz em paz? Que droga, isso chega até ser meio que parte do motivo do meu ódio pelo verão. As pessoas te exigem constantemente alegria por dias de sol, e pela praia, e...
Eu não sei lidar com os meus problemas, mesmo. Não sei tenho a mínima ideia de onde colocar os sentimentos obtidos com unfulfilled expectations muito menos com fulfilled expectations.

Yes, I'm these kind of person who gets upset when things work out cause it isn't quite a familiar feeling. So, I stay in the dark like a cockroach walking in circles trying to discover what to do when complaining isn't a valid option.
A funny fact about me: people always say that I'm stunning on the days I feel sadder - of course they don't know I'm sad otherwise it would be just to confort me. Then I realized that maybe my beauty is in my pain and I was born to be sad.
You know, sometimes when I ache really bad I think that sadness is a blessing, as much as love is. But a better one, cause it allows you to see the world how it really is.

Eu me sinto feliz sendo infeliz, então me deixa.
Porque tem muita gente por aí infeliz sendo feliz, e todo mundo finge que tá tudo bem.

Monday, January 23, 2012

26

"Waking up from this nightmare
How´s your life, what´s it like there?
Is it all what you want it to be?
Does it hurt when you think about me?
And how broken my heart is
Take you away from that empty apartment
You stay and forget where the heart is
Someday if ever you loved me you´d say it´s okay
It´s okay to be angry and never let go
It only gets harder the more that you know
When you get lonely if no one´s around
You know that I´ll catch you when you´re falling down
We came together but you left alone
And I know how it feels to walk out on your own
Maybe someday I will see you again
And you´ll look me in my eyes and call me your friend"



Perguntaram-me hoje se tinhas morrido. Primeiro espantei-me com a morbidez da pergunta mas logo a entendi. Faz bastante tempo desde a última vez que falei de ti para alguém.
Depois perguntaram-me se eu não sentia saudades tuas. Por fim perguntaram-me sobre o vazio.
Essa sou eu.


Eu tenho dois ipods shuffle e nenhum amor.
Não que eu dê muita importancia pro amor. Já disse que é muito melhor não lembrar.
Mas, me liga?
Eu prometo que esqueço. Que esqueço-te.
Praticamente nem lembro-me mais. Viu?
Mas liga-me.


Perguntarte-ei sobre teu dia, me contarás sobre o tempo, tua melhor amiga, algo engraçado e inesperado de alguém que mutuamente conhecemos e então sobre como vão tuas coisas com ela.
E assim lembro-me porque esqueço-te continuamente.


Mas liga-me.
Pra não esquecer-me de esquecer.

Saturday, January 21, 2012

25

A gente é sempre seguro de si
Até não ser mais
A gente sempre quer proximidade
Mas só tem distância
Então não nos aproximamos mais

Assim, passamos a impor distâncias, traçar longuras
Procurando contato. Tato.
"Quem casa quer casa"
E quem quer só a casa sem casar?
Estremeci e adormeci
Procurando-te
Odiando-te
Esquecendo-te
Lembrando-me
Porque se tu lembrar que esqueceu, é porque tem que esquecer de novo.

Friday, January 20, 2012

24


Parei de achar vazio e voltei a encher-me disso até os gargalos, até transbordar.
Tinha desistido de desistir de mim, após desistir de você.
Mas como sou fraca acabei desistindo de nós duas.
Ter todo mundo que você deseja é algo monótono, talvez por isso a minha extrema falta de interesse nas pessoas. A vida delas simplesmente não me é interessante.
É fácil, sabe. Não lembrar no outro dia, não saber o nome muito menos o e-mail.
Quem precisa de amor quando se tem tequila e champagne? Eu citei enquanto segurava um copo de cada bebida nas mãos. No rosto era inteira sorrisos e gargalhadas. E felicidade.
No pescoço eu tinha cabelos bem lisos louros e compridos, com olhos muito azuis. Nos ouvidos batidas muito fortes de um set muito fritante. Tudo agora comigo tem que ser muito - pra compensar o pouco do passado.
Bem me quer, mal me quer, bem me quer, mal me quer. Mas afinal, o que a gente quer? Complicado.

Friday, January 13, 2012

A quinta história

"(...)
Algumas de barriga para cima. Outras no meio de um gesto que não se completaria jamais. Na boca de umas um pouco de comida branca. Sou a primeira testemunha do alvorecer em Pompéia.Sei como foi esta última noite, sei da orgia no escuro. Em algumas o gesso terá endurecido tão lentamente como num processo vital, e elas,com movimentos cada vez mais penosos, terão sofregamente intensificado as alegrias da noite, tentando fugir de dentro de si mesmas.
Até que de pedra se tornam, em espanto de inocência, e com tal, tal olhar de censura magoada. Outras - subitamente assaltadas pelo próprio âmago, sem nem sequer ter tido a intuição de um molde interno que se petrificava! - essas de súbito se cristalizam, assim como a palavra é cortada da boca: eu te... Elas que, usando o nome de amor em vão, na noite de verão cantavam.
(...)
Estremeci de mau prazer à visão daquela vida dupla de feiticeira. E estremeci também ao aviso do gesso que seca: o vício de viver que rebentaria meu molde inteiro. Áspero instante de escolha entre dois caminhos que, pensava eu, se dizem adeus, e certa de que qualquer escolha seria a do sacrifício: eu ou minha alma. Escolhi. E hoje ostento secretamente no coração uma placa de virtude: "Esta casa foi detetizada".
A quinta história chama-se "Leibnitz e a Trancendência do Amor na Polinésia".
(...)

Sunday, January 08, 2012


The 1st time I saw you
I did try hard to burn my eyes
Life was but a sad dream
I was but a sad breath
But you were something like sand
When sunlight hits the sea

The 2nd time I saw you
I was about to take the road
I asked would you wait for me
You said life ain't a highway
Better if we'd been born
As siamese songbirds

The 3rd time I saw you
We went to the zoo
All steady hot beers, sorrowful monkeys
Big eyes laughing
Wish I had not held hands

The 4th time I saw you
It was like I was gonna die
I was waiting outside
You just had a new guy
Asked me why, I, I

Son, won't you come along?
We have no time for another song
Won't you sing along?
We have no sea, child

The 5th time I saw you
He was traveling abroad
And your eyes, they were not here
You just made new friends
While I tried to stop with cigarrettes

The 6th time I saw you
I was properly insane
For the whisky I had drunk
The drugs I'd taken
Gimme just one chance you will realise

The 7th time I saw you
You were married again
If I had just once kissed you
Things wouldn't be the same
Surely the sky'd be different

The 8th time I saw you
I was strummin' the guitar
& your ears were not for me
My ears were a-bleeding
The waiter was blind
Please someone blind my eyes

The last time I saw you
It was about six a.m.
You approached me in a strange car
Finally kissed me
Then did wave goodbye
Before you disappear

Sometimes I ache, babe
Or I ain't hard enough to stand
But the days they just drown me
Coming back from work
Having sour breakfast
Seasick from your chest

Tuesday, January 03, 2012

23


Eu via azul, céu azul, então preto do sol batendo no cabelo que ficava de certa forma azulado, e na sequencia vinha o verde da grama. Vinha o vinho, os macacos e os macacos maiores.
Medo de fazer me amar e eu não conseguir retribuir e fazer sofrer. Não quero o faze-lo! Nem nunca ei de querer... mas por mais que goste muito, não é amor e acho que nunca será. Antes eram ditos tantos "amo-te" sem saber o real significado.
Agora não dá mais.
É difícil mentir amor depois de senti-lo de verdade.
Mas, não sei, achei linda desde o primeiro dia e a soma já passou dos quinze: importante.